AVISO IMPORTANTE:

* Nossa casa fica em Porto Alegre (RS). Para maiores informações, contate-nos via e-mail.




segunda-feira, 25 de agosto de 2014

EXTRA-TERRESTRES TRABALHANDO NO TERREIRO?

Assim que o primeiro se manifestou e esta história eu já contei aqui no Blog , minha primeira providência foi buscar informações junto ao Pai Joaquim, que é o responsável pelos nossos trabalhos.
Já aprendi que não importa quem está trabalhando, mas o trabalho que está sendo feito. Porém, neste caso específico, bastante polêmico eu diria, achei importante saber de que forma ‘eles’ fazem isto, até para poder desmistificar e esclarecer os mais curiosos e até os que desacreditam.
E a resposta que recebi não tem nada de fantástico e é muito simples e de fácil entendimento por qualquer um que tenha um conhecimento básico sobre corpos espirituais, desdobramento e projeção astral.
Qualquer espiritualista acredita, ou deveria acreditar, na sobrevivência do espírito e das ‘muitas moradas na casa do Pai’. Sendo assim, fica fácil acreditar que existe sim vida em outros planetas.
Se nós, terráqueos, podemos nos desdobrar e nos locomovermos em corpo espiritual para outros lugares, não só aqui mesmo no nosso Planetinha, como em outras instâncias do astral, até mesmo a outros Planetas, dependendo de nossa capacidade para tal, porque ‘eles’ não podem fazer o mesmo, considerando-se que muitos são ou podem ser infinitamente mais evoluídos que nós, tecnologicamente falando , inclusive?
Muitos podem estar se perguntando: e por que seres de outros planetas, até mesmo mais evoluídos teriam interesse em vir até nós?
E a resposta de Pai Joaquim: troca de conhecimento, de experiências. Todo mundo tem algo a aprender e a ensinar. “Ximplex axim”, como diria o Nêgo.
Então, resumindo, ‘eles’ vem até nós desdobrados e incorporam em um médium para auxiliar nos trabalhos, principalmente de saúde.
Claro que não é qualquer médium. Precisa ser alguém com disponibilidade para tal, sem preconceito e com afinidade energética.
Falo de preconceito, porque tem médiuns que bloqueiam qualquer energia ‘diferente’ e que não seja identificada como a de um de seus guias. Já rotulam como sendo um obsessor e não se permitem incorporar e desfrutar deste aprendizado.

Para finalizar, deixo aqui um vídeo que assisti esta semana no youtube e que acabou por originar este texto.



quarta-feira, 6 de agosto de 2014

CIGANOS, ALEGRIA QUE CONTAGIA

Por Cândida Camini

O povo Cigano é conhecido por sua alegria, músicas, danças, cores e magias.
Os espíritos que trabalham na linha dos Ciganos mantêm estas características não só em seu dia a dia no astral, mas principalmente quando se apresentam para trabalhar.
A energia de uma gira Cigana se pauta na leveza que estes elementos transmitem aos seus médiuns e todos aqueles que procuram atendimento.
Quando um médium tem seu campo energético preenchido pela energia de um espírito cigano, sua alma passa a ser cigana. São comuns sentimentos de imensa liberdade, alegria e vontade de dançar.
O tempo deixa de existir da forma como o conhecemos na matéria e só o que passa a ter importância é usufruir desta energia e distribuí-la incondicionalmente a todos que estão abertos à recebê-la.
Os Ciganos são comerciantes natos e conhecidos pela sua esperteza nos negócios. 
Isto nos remete à crença de que os espíritos que trabalham nesta linha têm o poder de trazer a prosperidade para nossas vidas. E não deixa de ser verdade. Porém não exatamente da forma como entendemos a prosperidade. Não estamos aqui falando de dinheiro somente, mas também da prosperidade em todos os campos da nossa vida material e espiritual, por que não?
Não procure um espírito Cigano para pedir sucesso financeiro somente. Procure nele e em seus ensinamentos, a força e a coragem para saber usar os seus talentos e ir em busca deste sucesso.
Se você tem alguma dúvida sobre o que significa ser Cigano, lembre-se do lema deste Povo:


“ O céu é o meu teto,  a terra é a minha pátria e a liberdade a minha religião. ”

Optchá!


sexta-feira, 25 de julho de 2014

Amor de Mãe

por Cândida Camini

Afirma que mãe ama igualmente seus filhos quem não acredita na sobrevivência do espírito e em reencarnação.
Quem acredita sabe que não vivemos apenas esta vida e que são as afinidades e as diferenças que pautam este amor.
A mãe que ama verdadeiramente seus filhos, independente da intensidade com que este amor vibra por cada um, sabe que protegê-los ao extremo, colocá-los sob a asa para impedir que sofram ou sejam machucados, só os impedirá de crescer e aprender com os próprios erros.
A mãe que almeja o sucesso e a evolução dos filhos, orienta, liberta, vibra quando chega a hora de fazerem suas próprias escolhas e seguirem seu destino.
Alguns filhos temem e adiam até este momento, com receio de magoar, de ser tachado de ingrato e todas estas coisas que as mães mais passionais costumam pensar dos filhos que decidem sair de casa e morar sozinhos, ou dividir a vida com outra(s) pessoa(s).
Assim eu me sinto em relação aos filhos(as) que a Umbanda me deu, quando me destinou como responsável por este Terreiro, junto com o Ricardo.
Não amo a todos igualmente (e nem sei se me atrevo a falar em amor), pelo contrário, a grande maioria quando chega, traz consigo tudo aquilo que ainda preciso melhorar em mim. E o grande desafio é aprendermos juntos, a crescer e melhorar como pessoa.
O tempo vai passando e quando achamos que já podemos afirmar que nos entendemos, alguns filhos se libertam e querem seguir outros caminhos. E agora o desafio é o do desapêgo. Compreender e deixar ir. Porque toda mãe deve ou deveria saber, que os filhos não nos pertencem e que nos são emprestados durante o tempo que for necessário para que possam ganhar o mundo.
Alguns filhos é mais difícil deixar ir. Nosso instinto materno de proteção nos indica que precisam de mais um tempo ao nosso lado. Aquela afinidade que parece não ter explicação (e que só se explica pela reencarnação), teme a falta que ele, ou ela, vai fazer.
Com outros, parece mais fácil, algo nos diz que só veio cumprir um missão e, esta finda, se vai como chegou, sem deixar marcas ou saudades.
Quando iniciei nesta Seara, ouvi de nosso mestre Pai Joaquim de Cambinda que esta casa é uma casa de aprendizado, uma casa de passagem. Que alguns teriam suas próprias casas, no futuro. E outros ainda, teriam que passar por aqui e por muitas outras casas antes de se encontrarem. Outros mais, movidos pela curiosidade e pela empolgação, logo compreenderiam que não é necessário pertencer a nenhuma religião para fazer a caridade utilizando-se de sua mediunidade. Basta saber como utilizá-la em seu benefício e em benefício do próximo. E um dos propósitos desta Casa é este.
Alguns anos se passaram (12, desde quando tudo começou e 4 da fundação desta Casa como é hoje), muitos chegaram, outros tantos já se foram e alguns ainda estão se preparando para vir.
E como dizem que coração de mãe sempre tem lugar prá mais um, seguimos neste caminho, pedindo a Oxalá e todos os Orixás, que continuem nos dando a compreensão sobre o melhor a ser feito, dentro de nossas limitações.

Porque afinal de contas, nenhuma mãe é perfeita, embora os filhos pensem isso até descobrirem por si mesmos que a realidade é bem diferente. E quando isto acontece, o desafio é aceitar as diferenças e aprender com elas, sem deixar de amar.


sexta-feira, 18 de julho de 2014

Está com problemas?

Por PASCHOAL D’ OXAGUIAN 


UM MÉDIUM que atendia em sua humilde casa, ele e apenas um assistente, abriram as portas de sua casa e se dedicaram para ajudar os necessitados como de rotina.
Certa noite, tudo preparado para o início dos trabalhos, o pessoal começou a chegar e sentar-se nas cadeiras, no local chamado de “Assistência”.
Apesar de pequeno o local, o pessoal foi chegando e se acomodando como dava.
Adentrou um casal de idosos, uma mulher com um bebê de colo, um jovem rapaz, uma senhorinha de idade, um senhor sujo e com a roupa rasgada e uma linda jovem cheia de joias e aparentando muita saúde.
Ao dar início aos trabalhos, desce em terra sobre o médium, um Preto Velho. Sua assistente acende seu cachimbo, serve um pequeno pedaço de bolo de fubá, cafezinho e sua vela branca. Todos ansiosos para o início da consulta, quando a assistente diz:
- O Preto está chamando quem gostaria de tomar passe e consultar.
Antes da assistente chamar as crianças primeiro, a Jovem linda, com suas joias, levanta-se e diz:
- Eu, eu... eu primeiro.
Todos respeitam e ela segue em direção ao preto velho. E começa o diálogo.
- Preto, estou sofrendo muito, não aguento mais, a solução da minha vida é o Senhor, me ajude por favor.
O Preto olha assustado a ela, sem ter tempo de correr uma rápida gira ou se quer olhar na vela e diz:
- Fia, o que houve? Calma, Nego vai te ajuda.
- Preto, meu marido largou de mim, eu amo ele, faça alguma coisa, não aguento mais, já pensei em me matar, usa suas forças e traz ele de volta.
- Fia, nego... (interrompido)
- Eu amo muito ele, não quero ele com nenhuma outra vadia, só pra mim, faça uma amarração, estou sofrendo muito...
- Fia, Nego num faz amarração
- Eu pago.
- Fia, Nego num cobra.
- Preto, por favor, estou sofrendo muito, minha vida se arruinou por causa da falta dele.
- Tudo bem, Fia, vou te ajudar, mas mantem a calma e não é com amarração que se arruma isso.
- Preto eu pago o que for preciso, quero ele só pra mim de volta.
Então Preto velho sábio, muito calmo, dá risada e diz:
- Fia, volte a sentar lá que eu vou atender o pessoal e te chamo depois deles.
- Mas, preto, o Senhor não entende minha situação, como eu vou ficar por última? Preciso dele amanhã mesmo ou quando sair daqui.
- Fia, eu vou te aju....... (Interrompido)
- Preto, olha essas pessoas, eu duvido que elas estejam mais desesperadas do que eu.
Então, preto velho pensa um pouco e diz:
- Fia, vou deixa você por último justamente por isso. Eu cuido do caso deles rapidinho, o seu é mais demorado, prometo que você vai ficar mais calma quando acabar de conversar comigo.
- Mais, preto, olhe esse pessoal... (interrompida)
- Fia, olhe esse pessoal também. Não posso contar os problemas alheios, mas olhe ao seu redor... eu vou te ajudar, basta eu acabar o trabalho deles.
- Vai demorar preto, quero muito ele, logo, o quanto antes.
- hehehe. Não vai, não, fia. Aquele moço jovem está com demanda e feitiços, perdendo tudo o que tem, eu quebro rápido. O Casal de senhores está com problema com o filho por causa das drogas e a casa suja, isso também não vai demorar. A Senhora sozinha está com uma doença grave nas pernas e vai ter que amputar, mas não é tão grave como o sofrimento seu.
- E a mulher com o bebê parece bem.
- O bebê está com obsessor, não dorme, só chora, e esse espírito obsessor bate no pequeno nas noites de sono.
- Tá... mas aquele senhor sujo, com roupas rasgadas, não está com tanta pressa. Olhe, preto, está até cochilando na cadeira.
- Rs, rs... Sim, fia, ele vive na rua e vem sempre aqui, espera todo mundo acabar de se consultar pra pode comer um pedaço do meu bolo e tomar café com o nego pra amenizar a fome.
Então a moça olha bem, abaixa a cabeça e diz:
- Está certo, preto, vou esperar.
Ela dá às costa pro preto velho e escuta:


- Fia, Qual era seu problema mesmo?
Envergonhada e enxergando a diferença de problemas, ela diz:
- Nada, preto, nada. Só vim tomar um passe.

Resumindo, quando você acha que está com um Problema, olhe ao seu redor, veja os problemas dos outros, depois volte olhar o seu, ops... cadê?? Eu tenho problemas??

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Sou da Umbanda

Trago no sangue os traços do Negro, do Índio e do Europeu. 
Sou cafuzo, mestiço, mameluco, caboclo...
Minhas cicatrizes estão expostas.
Minha alma é marcada, mas meus lábios são adocicados.
O Dendê banha meus pés, o mel meus cabelos.
Sou aquele que foi preso no tronco e sentiu a sua carne ser arrancada pelo chicote;
Sou aquele que teve a sua coragem guerreira sucumbindo ante o estampido do bacamarte;
Sou também o senhor da casa grande e o cruel capataz, o carrasco e o padre.
Sou o jovem e o ancião.
Sou filho de Ogum, de Oxalá,de Yemanjá,
Sou filho de todos os Orixás que transportaram a minha fé através do Atlântico em infectos porões onde sucumbia a minha veia negra, vítima de minha veia branca, rumando ao encontro de minha veia vermelha.
Sou filho de um grande encontro.
Sou filho da comunhão.
Sou filho de muitas mães e de muitos pais.
Sou também devoto de Nosso Senhor do Bonfim...
Sou do barracão, da Roça;
Sou do terreiro, da Capela e do santuário... sou do templo.
Sou dos pés descalços com coroa de ouro na cabeça.
E não sou o todo;
Apenas um pouco de cada um.
E isto me faz rico como nenhum outro.
Comungo a exuberância da natureza, flutuo as copas das árvores e penetro a escuridão das matas;
Alço voo em meus cavalos alados, mergulho com as sereias, queimo envolto pelas salamandras, contemplo meus templos, que me ensinam que não há dor que sempre dure, mas sim um verdadeiro amor a perdurar até o final dos séculos.
Umbanda do Brasil.
Brasil da Umbanda.
Tão povoado é o céu de minhas crenças, tão liberto sou agora, que creio seja uma compensação pelo grilhão que outrora prendeu meus pés ligeiros, ou da angústia culposa que aprisionou meu espírito em minha alva pele cúmplice do erro.
Desta religião Divina onde baixam todas as raças, aprendo e ensino, perdoo e sou perdoado.
Agora que meus joelhos só se dobram em devoção, e não temo nem mesmo o futuro, posso bradar meu grito guerreiro.
E dizer a quem queira saber:
Sou liberto, sou Índio, sou negro, sou branco;
Sou escravo e feitor;
Sou da senzala e da casa grande;
Sou da selva e da cidade;
Sou dos santos e dos orixás;
Sou do perdão;
Sou do Brasil...
Sou da Umbanda.
Texto de Antonio Bispo, publicado no Jornal de Umbanda Sagrada - 168 - Veja todas as edições do Jornal de Umbanda Sagrada na Integra no site: colegiopenabranca.com.br

sexta-feira, 13 de junho de 2014


Neste sábado, dia 14/06, com início às 19h, faremos nossa homenagem ao Povo da Rua, Exus e Pombas Giras.


sexta-feira, 23 de maio de 2014

Festa em Homenagem aos Pretos Velhos

Recepcionando os convidados

Pai Joaquim dando as boas-vindas 

Ricardo e Cândida

A Choupana de Pai Joaquim de Cambinda, pronta prá Festa!

Axé do bolo!

O bolo, com a imagem de Pai Joaquim de Cambinda (desenho feito pela nossa filha Débora).

Cantando Mãe Preta



quarta-feira, 14 de maio de 2014

Gratidão!



Minha homenagem hoje é especialmente prá esse neguinho aí, Pai Joaquim de Cambinda, por toda a paciência que está tendo comigo (ainda) desde sempre. 
Obrigada, Nêgo, pelos ensinamentos, pela sabedoria, pela humildade, pela proteção, por tudo, por tudo, por tudo que durante estes 12 anos o senhor tem me proporcionado. 
Sei que a melhor forma de agradecer é corresponder à confiança que o senhor deposita em mim, e continuar tocando este trabalho, junto com seu cavalo, que por coincidência é o meu marido, o amor da minha vida e o responsável por tudo isso. 
Afinal, é através dele que interagimos e ninguém melhor que ele, com toda a sua disponibilidade e amor por este trabalho para ser o seu 'cavalo'.

Salve toda a falange dos Pretos Velhos!

E que venha a festa!!!!

domingo, 27 de abril de 2014

Trabalhos Encomendados e Promessas de Solução - Por Mãe Iassan Ayporê Pery

Com muita frequência nos deparamos com situações como estas em nossos atendimentos. Reproduzo então, a seguir, um artigo que reflete bem o que pensamos sobre o assunto (exceção feito às oferendas, prática que não adotamos aqui). Segue o texto:

"O que pensar desses anúncios vinculados em jornais ou panfletos distribuídos nas ruas que prometem a solução de nossos problemas amorosos, financeiros e de saúde? Eles funcionam mesmo? Trazem a solução tão desejada?
O primeiro (aspecto a ser analisado) refere-se ao desespero da pessoa que necessita ou deseja a solução. O segundo é ver envolvido o nome da Umbanda nessa questão.
Analisando o primeiro aspecto, podemos desmembrá-lo também em duas vertentes. A primeira diz respeito a compreensão da pessoa que por acreditar que seu problema não seja de seu merecimento ou “culpa”, busca no externo a solução do mesmo. Pessoas que buscam esse tipo de “atendimento” não têm menor noção de espiritualidade, de merecimento, e não estão nem um pouco preocupadas com as conseqüências que este tipo de envolvimento pode trazer, pois as desconhecem. Por acreditarem que o seu problema é conseqüência de ações de terceiros, desafiam o próprio Deus, dizendo-se não merecedoras do que estão passando.
Dentro de suas mentes obnubiladas pela dor e sofrimento, querem uma solução rápida, mágica, que as façam verem-se livres e felizes.
A segunda vertente diz respeito especificamente ao sentimento do solicitante. Muitos pedem que “a pessoa amada volte”. Ora, sabemos que quem ama realmente deseja somente o bem do ser amado, portanto não irá fazer um pedido desta natureza. Outras pessoas pedem que “fulano” perca o emprego, pois ele precisa trabalhar e o “fulano” está atrapalhando; ou então pedem pelo desencarne de “beltrano”. Francamente!
Mas, esses “trabalhos” funcionam?
Certamente que sim! Não para todos, mas para muitos ou alguns. Mas no fundo, no fundo, é imprescindível que haja absoluta harmonia entre o solicitante, o executante, a "vítima" e o astral inferior. Portanto obter o resultado desejado apenas confirma a absoluta sintonia entre essas quatro coisas.
Mas quem executa esses trabalhos em nível astral?
Espíritos que trabalham com forças trevosas, de baixo padrão vibratório e alta densidade perispiritual. Espíritos altamente ligados à matéria, ao mundo encarnado. Não são desprovidos de inteligência, muito pelo contrário, são desprovidos de luz, de esclarecimentos da verdade eterna, de amor. Espíritos que saudosos de seus tempos na terra ainda precisam se alimentar, fumar, beber, urinar, defecar, sentem-se encarnados ainda, sentem dor, prazer sexual, etc. E para satisfazerem as suas necessidades fisiológicas e outras intenções maléficas, reúnem-se em torno de encarnados que poderão, por similitude vibratória, atendê-los em seus desejos e aspirações.
Muitos se agregam aos médiuns que por sua invigilância, cedem lentamente a essas aspirações. Eles são ardilosos, chegam a fazerem-se passar por Exu, dando ao médium a impressão de estar sendo assistido pelo seu próprio Exu. Por isso é tão importante que o médium estude sempre e mantenha-se empenhado no caminho do bem e da caridade.
Dentro de sua ousadia, esses obsessores envolvem o médium dando-lhe “poderes” e sensações prazerosas em nível de terra. Atendem rapidamente as necessidades mais mundanas do médium e se apresentam como “solucionadores” de diversas questões. Mas ainda não é aí que começa a cobrança. O médium empolgado desvia-se ainda mais, começa a procurar lugares onde haja o mesmo tipo de afinidade vibratória, e tudo que estudou recebe outra conotação. Começa a atender pessoas em casa e se diz pai ou mãe no santo e a pedir, sugestionado pelos obsessores, os elementos que irão satisfazer as necessidades deles, e não vê nada de mal em cobrar também pelo trabalho que irá executar. Afinal ele também tem as suas próprias necessidades (jóias, carro novo, casa, etc), mas ter um emprego onde ganhe o seu sustento que é bom, nem pensar, pois não teria tempo para se dedicar com afinco ao serviço ao astral inferior (aliás uma das primeiras exigências dele).
A pessoa que foi pedir, poderá ou não receber a “graça”, ou seja, a solução tão desejada, mas certamente ela receberá algumas tantas companhias que turvarão ainda mais sua mente já tão conturbada e perturbada pela dor. Neste caso em especial, não receber a “graça” é que é a verdadeira graça, pois pode ser um sinal de que a pessoa não está tão envolvida assim com a espiritualidade inferior.
O segundo aspecto desta questão é quando envolvem o sagrado nome da Umbanda nestes trabalhos. A Umbanda não se presta a este tipo de coisa. Quem assim o diz está desviado de seu caminho. A Umbanda trabalha justamente para combater o astral inferior e não compactua com obsessor, mas o orienta e doutrina, ao contrário também do que muitos pensam. Portanto quem cobra por seus "serviços mediúnicos" e compactua com esses pensamentos desviados, não é umbandista, porque a Umbanda é a prática da caridade pela caridade, na busca da evolução.
No embate contra o astral inferior a primeira linha que é utilizada pela Umbanda é a linha de Exu e Pomba Gira, porque são as entidades determinadas pelo Astral Superior para esse trabalho em função de suas características vibratórias, sua enorme capacidade de manipulação energética e seu profundo conhecimento das armadilhas do astral inferior. Exu trabalha para ascender às hostes superiores, ou seja, para um dia vir a ser um Caboclo ou Preto Velho, portanto jamais irá se deixar seduzir por armadilhas que ele tão bem conhece. Além do mais, Exu trabalha sob as ordens de espíritos superiores que são os enviados de Orixá. Logo, por dedução simples e lógica não faz sentido a afirmação de que Exu faz tanto o mal quanto o bem, que não sabe diferenciar um do outro; isso significaria inocência, coisa que está longe de ser uma das características de Exu; além de significar que Exu seria um idiota, e não um espírito de luz, guardião e defensor.
Exu é passional?
Sim, Exu é passional, mas não é bobo e muito menos violenta o livre arbítrio de ninguém. Portanto, Exu não bate, não exige oferenda especial nenhuma, utiliza sim os elementos oferendados (padé e bebida alcoólica), única e exclusivamente para manipular as energias volatilizadas para a consecução dos objetivos propostos pelo Astral Superior, e o mesmo não propõe que o Exu beba através de seu médium, mas que manipule a essência dos elementos oferendados em favor dos seus comandados, estes sim mais apegados as necessidades terrenas.
Eis o motivo de Exu ser tão mal compreendido. Eis o motivo da Umbanda ser tão execrada. As pessoas leigas e os médiuns desprovidos de esclarecimento e orientação, deixam-se levar por exemplos pouco louváveis e acabam misturando as coisas.
O tempo que alguns médiuns perdem em querer aprender “fuxicos”, oferendas e agrados para os Orixás e etc, deveriam usar para elevarem o seu próprio padrão vibratório e se tornarem dignos de se dizerem umbandistas.
Mas nada acontece por acaso, pois todas as vezes que a Umbanda é atacada ela ressurge, tal qual fênix, das cinzas dos médiuns invigilantes, através da força dos que realmente amam a Umbanda."


sexta-feira, 18 de abril de 2014

Homenagem a Ogum


Neste dia não haverá atendimento individual, somente passe de corrente, após o que, será servido bolo com refrigerante. Se quiserem colaborar com a festa, um refrigerante será bem-vindo. 

Ogunhê!

sábado, 29 de março de 2014

De onde eu vim....

A hora se adiantava e precisávamos encerrar a gira, mas alguém queria se manifestar para uma mensagem de esperança. E ele começou assim:

- De onde eu vim....

De onde eu vim, não precisamos que nos digam o que precisa ser feito, nós já iniciamos o dia sabendo exatamente o que nos cabe, e o fazemos.

De onde eu vim, não existe preguiça, não deixamos para depois o que tem que ser feito agora.

De onde eu vim, um homem de 100 anos de idade é considerado um adolescente e eu, um homem adulto, tenho cerca de 400 anos terrestres.

De onde eu vim, os corpos são mais sutis, menos propensos às doenças, pois a alimentação é saudável e os vícios não existem.

De onde eu vim? -

A maioria não quis arriscar. Mas alguém na assistência sim: - Capela?

E uma médium da corrente, determinada: - Da Terra?

Ao que ele confirmou:

- Sim, eu sou um terráqueo, como vocês, mas venho do futuro.
Assim como vocês, nós também nos desdobramos e viajamos ao passado, como estou fazendo agora.

E eu perguntei: - O senhor está encarnado?

E ele: - Sim, como vocês.

E ele falou, falou, falou e eu me arrependi amargamente de não ter um gravador comigo naquela hora. Ficou dentro de nós a mensagem, mas não consigo reproduzí-la fielmente.

Ele nos deixou uma mensagem de fé, para que continuemos acreditando nas mudanças, na evolução do ser e do Planeta. Ele e sua mensagem são a prova de que vamos conseguir.

E despediu-se assim:


- Até o próximo amanhecer! – explicando que é assim que se despedem ‘de onde ele veio’, pois o sol sempre nasce ao amanhecer, na certeza de um novo dia, cheio de energia.



segunda-feira, 24 de março de 2014

UMBANDA - MÃE SAGRADA DE TODOS NÓS

Meu amigo virtual, irmão Umbandista Antônio Bispo escreveu este texto lindo, falando da nossa Umbanda.
Encontrei nos meus guardados e não resisti em compartilhar com vocês.

Obrigada, Antônio, por esta pérola.


" A minha religião é uma menina se comparada as outras.
A filha caçula de nosso PAI OLORUM.
Menina que humildemente aceita os ensinamentos de todas as suas irmãs mais velhas, e assim se torna sábia e universalista.
A minha religião me ensina sobre a vida eterna e como uma menina feliz ,
que é,
Me convida ao canto e a dança.
Enquanto danço ela muda de forma e de menina se torna moça, mulher e anciã,
Me acolhendo , curando e vitalizando, amparando e aconselhando .
E depois volta a ser menina, confortando meu coração e dizendo que me AMA .
E eu a AMO! A AMO com o amor dos apaixonados que não conseguem se expressar em palavras de tanto AMOR.
Menina , moça , mulher e anciã .
Encanto e magia.
UMBANDA! Para ti toda a minha gratidão, pois me aceita assim como sou, pobre e ignorante, imperfeito e inacabado.
Pedi a ti tudo o que desejava e tu me destes o que necessitava.
Pedi a ti atalhos e tu me deste caminho.
Pedi a ti bens e me destes valores.
Aqui contrito e agradecido faço ecoar até ti meus mais puros sentimentos de gratidão,
que envoltos em seu mistério se refletem nas mais nobres ações que este teu filho pode alcançar ,
pois hoje e graças a ti ciente sou de meus desvios ,
e mesmo assim recebido em teu seio e embriagado de tuas virtudes , eu posso me sentir próximo de DEUS , e vislumbrar a possibilidade de minhas vitórias .
A minha religião é DIVINA, desde a sua concepção .
É uma menina doce de olhos amendoados.
É uma moça faceira, esperta e determinada.
É uma mulher sensual, sábia e materna.
É uma senhora reveladora e poderosa.
A entendo assim feminina.
Pois a vejo como uma mãe generosa, e eternamente grávida, que nos alimenta em seus seios , que nos aquece em seu colo ,
Que nos conforta em seus braços ,
Que nos ensina ,
Que nos aconselha
e nos leva ao bom caminho.
E se necessário nos mostra de forma clara e prática o que sejam as consequências de nossos atos, exatamente como uma MÃE amorosa e responsável .
A minha religião deve também ser a tua! E assim podemos dançar e cantar juntos numa só sintonia, formando-se assim uma corrente onde cada um de nós seja um elo sustentando o grande e precioso diamante que é a nossa querida UMBANDA a nossa religião , pois ela nos ensina que somos todos irmãos, de uma grande família .

“Uma religião que veio para unir as famílias e que há de se perpetuar até o final dos tempos”, assim profetizou o nosso Caboclo DAS 7 ENCRUZILHADAS.
Hoje olhamos para ELA e vemos como cresce e se engrandece a cada giro de sua gira , pois está VIVA , eternamente de braços abertos recebendo , aprendendo e ensinando .
E EU a AMO,
e ELA nos AMA. 
Perdendo-nos em seu ventre já não somos mais eu ou você, ele ou ela. Somos UM
Somos UMBANDA.
Se duas almas tivesse duas almas te daria...
SARAVÁ UMBANDA."



domingo, 16 de março de 2014

Mudança de horário aos sábados


Próximo sábado, dia 22/03, voltaremos a atender com os Pretos Velhos no horário da tarde, ou seja, das 15h às 17h (horário que fecha o portão).

domingo, 9 de março de 2014



Próximo sábado, 15/3, teremos um evento externo, por isso não haverá sessão com os Pretos Velhos.
Caso haja previsão de muita chuva, adiaremos o evento e trabalharemos normalmente, a partir de 19h.
Não agendarei consultas com antecedência para este sábado. 
Caso tivermos sessão, abrirei a agenda no dia, a partir de 18h.

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Laço de Luz



Mais uma pérola da parceria Emmanuel/Chico Xavier.

Se a cada pedra no nosso caminho parássemos para refletir sobre ela ao invés de chutá-la com raiva para longe e seguirmos a reclamar, com certeza teríamos a oportunidade de sermos mais felizes e seguir com tranquilidade rumo a nossa evolução.

É difícil, claro, mas um exercício que, se praticado com fé e determinação, fará com que consigamos passar nas provas e seguir confiantes para o próximo ano nesta escola.

Segue o texto:



As provas na Terra apresentam sempre o lado de luz de que são mensageiras.
Entretanto, para observá-lo, urge reconhecer os sinônimos espirituais de que
essas mesmas provas se revestem, como sejam:

encargo difícil - privilégio;
dever cumprido - senda libertadora;
rotina - conquista de competência;
solidão - tempo de pensar;
contratempo - aviso benéfico;
contrariedades no cotidiano - treino de paciência;
tribulação de improviso - socorro específico;
moléstia súbita - apoio de emergência;
lesão congênita - corrigenda no espírito;
adversários - fiscais proveitosos;
crítica - apelo a burilamento;
censura - convite a reajuste;
ofensa - invocação à tolerância;
menosprezo - teste de amor;
tentação - curso de resistência;
fracasso - necessidade de revisão;
lar em discórdia - área de resgate;
parente complexo - dívida em cobrança;
obstáculo social - ensino de humildade;
deserção de afetos - renovação compulsória;
golpes - aulas para discernimento;
desilusão - visita da verdade;
prejuízo - identificação de pessoas;
decepções - informes claros;
renúncia - rumo certo
crise - aferição de valor;
sacrifício - crescimento espiritual;

Meditemos na significação oculta dos problemas com que somos defrontados no
mundo e saibamos aproveitar, enquanto no Plano Físico, a nossa abençoada
escola de elevação.

Obra: Buscas e Acharás - Chico Xavier/Emmanuel


sábado, 11 de janeiro de 2014

Em qual nível de negatividade você se encontra?

Este texto é de Patrícia Donban Machado e foi publicado no STUM.
Achei tão importante que vou postar aqui. Tirem ótimo proveito, como eu tirei!

" Você sabe que semelhante atrai semelhante? Que pessoas positivas são atraídas para a energia positiva e pessoas negativas são atraídas para a energia negativa?

Nós tendemos a perceber a energia negativa como algo que somente as outras pessoas têm. Claro, às vezes nos sentimos negativos, mas você sabia que a negatividade pode estar tão arraigada em você que pode passar despercebida? Isso porque, às vezes, a negatividade usa um disfarce chamado "realidade". É fácil racionalizar que você está sendo apenas realista ao não ousar perseguir um sonho.
Você pode acreditar que pessoas positivas não estão sendo realistas, que na verdade estão sendo ingênuas, que estão em negação etc., mas essas pessoas são realmente idiotas felizes? Considere o seguinte: desde quando "ser realista" significa necessariamente que algo dará errado e que você tem que aceitar isso como verdade?
Quando você vê o mundo a partir de um ponto de vista realista, você não pode deixar de ser negativo se a sua versão da realidade é negativa. Se a sua versão da realidade é negativa, você está condicionado a acreditar que tudo o que pode dar errado, vai dar errado e tudo o que pode dar certo, provavelmente vai dar errado também. Suas crenças inconscientemente lhe tornam uma pessoa negativa sem que você esteja ciente disto!

Portanto, se essa negatividade está tão arraigada em você que você não percebe isso, como você determina se está preso em uma nuvem de energia negativa que está atraindo as pessoas erradas, situações erradas e sentimentos errados? E como você pode ter certeza de que você não está perpetuando esta negatividade?

Aqui está um rápido teste para medir o seu nível de negatividade:


- Você reclama? Durante todo o tempo ou só às vezes?
- Você costuma discutir o que há de errado no mundo mais de o que é certo? Isto inclui o tempo horroroso, o tráfego horrível, o governo corrupto, a economia péssima, os sogros idiotas etc.?
- Você critica? Durante todo o tempo ou apenas certas pessoas?
- Você é atraído para o drama e o desastre? Você não dá bola para os escândalos das celebridades? Você consegue desligar a TV quando está passando a notícia de um desastre?
- Você sente culpa? Durante todo o tempo ou apenas de determinadas situações?
- Você acredita que não tem controle sobre a maior parte dos resultados da sua vida?
- Você se sente como uma vítima?
- Você está grato por aquilo que é, ou você só será grato quando as coisas finalmente começarem a dar certo para você?
- Você sente que as coisas estão acontecendo com você? Ou você acha que elas estão acontecendo através de você?

Se você respondeu sim a qualquer uma das perguntas acima, você está segurando energia negativa em algum grau.
Se você só é grato quando as coisas dão certo, você é negativo. A gratidão é positiva, se você é grato pelo que é, então você pode atrair mais e mais energia positiva em sua vida.

Acreditar que as coisas acontecem COM você lhe coloca no papel de vítima, então, é fácil ser negativo porque é conveniente dar ao outro esse poder. Mas então me diga: quem ou o que é culpado quando as coisas BOAS acontecem com você? Você reconhece que é responsável ​​pelas coisas boas, mas culpa eventos externos ou outras pessoas por suas falhas? Quando boas coisas acontecem, elas são um resultado do que você fez, mas quando coisas ruins acontecem não são culpa sua? É preciso coragem para aceitar que você cria a sua experiência de vida!

Para limpar a energia negativa e aumentar a sua vibração, você terá que treinar uma atitude positiva. Você já notou que pessoas positivas parecem ter o que querem da vida, e mesmo se as coisas não seguem o caminho que escolheram, elas ainda desfrutam de suas vidas, enquanto pessoas negativas lamentam e lamentam sobre seus infortúnios e até mesmo das coisas boas de suas vidas?

Cancelar pensamentos negativos e substituí-los por pensamentos positivos requer prática e persistência para superar o condicionamento passado e pensar intuitivamente da alma, em vez de focar a "realidade" - criar uma nova realidade na sua imaginação e manifestá-la no mundo exterior.

Ninguém quer energia negativa permeando suas vidas, mas muitos de nós ainda permitimos isso. Essa permissão inconsciente, com base em condicionamentos passados, sugere um resultado negativo inevitável em certas situações. Quando você superar esse condicionamento e perceber que tudo pode ser mudado, que você tem mais controle sobre suas circunstâncias do que você acredita, então, você pode começar a projetar conscientemente a sua vida. "


quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Ano Novo!


 Hoje é o dia que dá início a um novo ano.
    É o dia primeiro. Todos queremos iniciar mais um ano com esperanças renovadas. É um momento de alegria e confraternização.
    As rogativas, em geral, são para que se tenha muito dinheiro no bolso, saúde para dar e vender.
    Mas será que se tivermos tudo isso teremos a garantia de um ano novo cheio de felicidade?
    Se Deus nos dá saúde, o que normalmente ocorre é que tratamos de acabar com ela em nome das festas. Seja com os excessos na alimentação, bebidas alcoólicas, tabaco, ou outras drogas não menos prejudiciais à saúde.
    Não nos damos conta de que a nossa saúde depende de nós.
    Dessa forma, se quisermos um bom ano, teremos que fazer a nossa parte.
    Se pararmos para analisar o que significa a passagem do ano, perceberemos que nada se modifica externamente.
    Tudo continua sendo como na véspera. Os doentes continuam doentes, os que estão no cárcere permanecem encarcerados, os infelizes continuam os mesmos, os criminosos seguem arquitetando seus crimes, e assim por diante.
    Nós, e somente nós podemos construir um ano melhor, já que um feliz ano novo não se deseja, se constrói.
    Poderemos almejar por um ano bom se desde agora começarmos um investimento sólido, já que no ano que se encerra tivemos os resultados dos investimentos do ano imediatamente anterior e assim sucessivamente.
    Poderemos construir um ano bom a partir da nossa reforma moral, repensando os nossos valores, corrigindo os nossos passos, dando uma nova direção à nossa estrada particular.
    Se começarmos por modificar nossos comportamentos equivocados, certamente teremos um ano mais feliz.
    Se pensarmos um pouco mais nas pessoas que convivem conosco, se abrirmos os olhos para ver quanta dor nos rodeia, se colocarmos nossas mãos no trabalho de construção de um mundo melhor, conquistaremos, um dia, a felicidade que tanto almejamos.
    Só há um caminho para se chegar à felicidade. E esse caminho foi mostrado por quem realmente tem autoridade, por já tê-lo trilhado. Esse alguém nós conhecemos como Jesus de Nazaré, o Cristo.
    No ensinamento Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo está a chave da felicidade verdadeira.
            Jesus nos coloca como ponto de referência. Por isso recomenda que amemos o próximo como a nós mesmos nos amamos.
    Quem se ama preserva a saúde. Quem se ama não bombardeia o seu corpo com elementos nocivos, nem o Espírito com a ira, a inveja, o ciúme etc.
    Quem ama a Deus acima de todas as coisas, respeita Sua criação e Suas leis. Respeita seus semelhantes porque sabe que todos fomos criados por Ele e que Ele a todos nos ama.
    Enfim, quem quer um ano novo repleto de felicidades, não tem outra saída senão construí-lo.
    Importa que saibamos que o novo período de tempo que se inicia, como tantos outros que já passaram, será repleto de oportunidades. Aproveitá-las bem ou mal, depende exclusivamente de cada um de nós.
*  *  *
    O rio das oportunidades passa com suas águas sem que retornem nas mesmas circunstâncias ou situação.
    Assim, o dia hoje logo passará e o chamaremos ontem, como o amanhã será em breve hoje, que se tornará ontem igualmente.
    E, sem que nos demos conta, estaremos logo chamando este ano que se inicia de ano passado e assim sucessivamente.
    Que todos possamos aproveitar muito bem o tesouro dos minutos na construção do amanhã feliz que desejamos, pois a eternidade é feita de segundos.
 
(Redação do Momento Espírita, com pensamentos extraídos dos verbetes Oportunidade e Tempo, do livro Repositório de sabedoria, v. 2, pelo Espírito Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal)

(fonte: http://espnetjovem.blogspot.com.br/)