AVISO IMPORTANTE:

* Nossa casa fica em Porto Alegre (RS). Para maiores informações, contate-nos via e-mail.




segunda-feira, 23 de abril de 2012

Ogunhê!



Hoje, juntamente com as homenagens à Falange de Ogum, nossa Casa comemora dois anos de sua inauguração.
Foi numa festa em homenagem à Ogum que abrimos as portas desta casa, realizando um sonho muito tempo acalentado.
Tinha que ser no dia dele né? O vencedor das demandas, aquele que abre os caminhos.
Custamos a encontrar esta casa. Foram dois anos de buscas e a ansiedade crescia a cada dia.
Quando finalmente aqui chegamos, o local para instalar o Terreiro não estava habitável e nós não tínhamos fundos para reformar.
Fizemos uma rifa e devagarinho fomos abrindo a porta, levantando parede, trocando forro, pintando e, após longos oito meses reiniciamos nossos trabalhos.
Digo reiniciamos, porque durante oito anos (e já contei a história aqui no blog), trabalhamos na sala de nosso apartamento.
No início, a corrente mediúnica ocupava metade do salão, e a assistência a outra metade.
Já no dia da inauguração, muita gente ficou do lado de fora.
Passou-se um mês, e iniciamos o segundo grupo de estudos e desenvolvimento mediúnico (o primeiro foi formado ainda no tempo do apartamento).
Logo outros médiuns foram se incorporando à corrente e nós tivemos que adaptar o lado de fora para receber a assistência, pois o salão estava ficando pequeno.
Nova rifa, faz telhado, fecha lateral, para que todos pudessem ficar bem instalados enquanto aguardavam os atendimentos.
E o salão continua pequeno rsrsrs 
Tanto que em meados de março deste ano abrimos mais um dia de atendimentos, a segunda-feira, propiciando que mais médiuns possam trabalhar e, por consequência, mais pessoas possam ser atendidas.
Confesso que se tivessem nos dito, lá no tempo do apartamento da Anita Garibaldi, que íamos chegar onde chegamos, ficaríamos assustados, com certeza não nos acharíamos capazes de assumir uma responsabilidade deste porte.
Mas nossos amados guias sabem como conduzir as coisas. Um dia de cada vez, um passo por vez, e nosso caminho vai sendo trilhado.
Só temos a agradecer.
Agradecer ao Pai Maior, Oxalá, que permitiu que tudo isso fosse possível.
Agradecer ao Pai Joaquim, que com toda sua sabedoria e paciência, soube nos conduzir.
Agradecer a todas as Falanges de Umbanda que trabalham nesta casa, por sua proteção e seu amor.
Agradecer a cada médium desta corrente, por estarem junto conosco nesta caminhada.
Agradecer a cada um que busca auxílio em nossa Casa, porque desta forma nos auxilia a cumprir com a nossa missão.
E finalmente, agradecer ao Ogum Beira-Mar, neste seu dia, por nos dar força e coragem a cada batalha, para não desistir da guerra; por tomar a nossa frente em todas as demandas, auxiliando-nos a permanecer firmes na fé.


Ogunhê, meu Pai Ogum!


Salve todas as falanges de Ogum neste dia!



domingo, 8 de abril de 2012

O uso do Reiki e Florais na Umbanda

Cerca de seis meses após a inauguração da Casa Pai Joaquim de Cambinda, uma amiga pediu para conversar com Pai Joaquim e ofereceu-se para ajudar as pessoas da forma como ela sabe e está qualificada, ou seja, receitando florais e aplicando Reiki. 
Por quê não? 
Afinal, não temos a Linha do Oriente, na Umbanda, onde trabalham os Mestres da Cura?
Desde lá nossa amiga se coloca à disposição das entidades que estão dando consulta as quais, quando consideram necessário, encaminham o consulente a ela, seja para o Reiki ou para o receituário de florais.
Alguns podem estar se perguntando: mas as entidades da Umbanda não tem condições de fazer este atendimento? Claro que sim, dependendo da linha de trabalho e da entidade que está atendendo aquele consulente. 
O Reiki* é mais uma técnica de manipulação energética que pode sim ser aplicada em um Terreiro de Umbanda, com o intuito também de disponibilizar a prática da Caridade para aquele indivíduo que deseja se integrar a ela, mas não tem uma mediunidade ostensiva, ou seja, de incorporação, ou de clarividência, ou qualquer outra que comumente se encontram nos Terreiros. 
O fato de não estar incorporada, não siginifica que nossa amiga não esteja sendo assistida pelos seus mentores espirituais, os quais a intuem e amparam durante tudo o atendimento.
Com os Florais já é um pouco mais complicado, pois se faz necessária uma série de perguntas, cujas respostas são de vital importância para a correta aplicação das essências. 
Como ela não trabalha incorporada, as pessoas têm reservas em falar sobre seus problemas, dificultando a formulação da receita.
É uma pena, pois poderiam usufruir melhor de mais este atendimento gratuito que nossa casa oferece. 



Levando em conta a quantidade de pedidos de auxílio que recebemos para os animais de estimação, cabe aqui informar que o tratamento com florais pode ser aplicado também a eles. 


*Reiki - é uma palavra japonesa que significa “Energia Vital Universal”. Não é uma religião e nem uma crença e sim uma técnica de manipulação energética para a cura.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

A Páscoa para os Umbandistas



Sendo a Umbanda uma religião Cristã (embora muitos discordem disto), nós Umbandistas também celebramos a Páscoa, principalmente porque ela nos remete à ressurreição de Cristo, que em nossa interpretação nada mais é do que a materialização do seu espírito com o intuito de consolar a todos e mostrar que a vida não termina com a morte do corpo carnal.
Mais do que uma data a ser comemorada na matéria, através do consumismo exacerbado, a Páscoa deve ser um período de reflexão, onde devemos repensar nossos valores e reafirmar a nossa fé.
Houve um tempo em que eu aguardava a Páscoa com ansiedade, na expectativa do ninho de chocolates que o coelinho ia deixar e não comia carne vermelha na Sexta-Feira Santa, porque assim é que tinha que ser.
Mais tarde, já dona do meu nariz, não me importava em comer carne vermelha neste dia, visto que 'não era católica'.
Hoje, Umbandista convicta, tenho excelentes motivos para não comer carne vermelha em dias de trabalho (o que atualmente se dá pelo menos quatro vezes por semana) e, sendo um deles a Sexta-Feira, assim será neste feriado. Não pelo sentido simbólico deste dia, mas porque acredito que o trabalho flui melhor sem esta energia no meu aparelho digestivo e, por consequência, no meu campo energético.
Algumas casas de Umbanda fecham no período da Quaresma, outros grupos Umbandistas recomendam não consumir carne vermelha na Semana Santa, outros ainda não trabalham com o Povo da Rua, cada um baseado em suas convicções, as quais respeitamos.
Nós, da Casa Pai Joaquim de Cambinda, acreditamos que a prática da caridade não escolhe dia e hora para acontecer. Acreditamos que evitar o consumo de carne vermelha deve ser a meta de todo Umbandista e que na Umbanda, sem Exu não se faz nada.
Vamos atender normalmente com os Pretos Velhos neste sábado e, se necessário, com as Crianças, com o Povo da Rua, com os Caboclos, Ciganos, Tropeiros, Orientais e qualquer outra falange cuja energia for solicitada. 


Feliz Páscoa a todos!