AVISO IMPORTANTE:

* Nossa casa fica em Porto Alegre (RS). Para maiores informações, contate-nos via e-mail.




segunda-feira, 22 de maio de 2017

Gratidão, Umbanda!

por Cândida Camini

" A Umbanda tem fundamento, é preciso preparar "
Desde que Pai Joaquim mencionou a primeira vez que iríamos montar um grupo de estudos, isto lá pelo ano de 2007, nunca mais deixamos de nos reunir com todos aqueles que têm interesse em conhecer mais sobre a Umbanda e sobre mediunidade.
Não temos a pretensão de formar ninguém neste assunto, até por que o aprendizado é constante e mais se aprende pisando o chão do Terreiro na prática da caridade do que em cursos cheios de teoria e pouquíssima prática.
O objetivo é , principalmente, passar conhecimento, aprender com quem sabe mais, ensinar quem menos sabe, como bem disse o Caboclo das 7 Encruzilhadas quando instituiu a Umbanda no Brasil, em 1908.
Não há compromisso algum dos participantes com nosso Terreiro, ou com a Umbanda.
Nada é cobrado.
Esta semana que passou encerramos mais um ciclo de estudos, ocasião em que alguns fizeram questão de se manifestar sobre como foi para eles este período.
Transcrevo a seguir algumas frases que permearam nossa última reunião:

" A Umbanda me deu chão. "

" Eu tinha muito preconceito. Jamais imaginei que a Umbanda fosse assim. Quanto mais aprendo, mais quero saber. "

" No início foi difícil, porque estar aqui exigiu um olhar para dentro de mim mesma. "

" Foi demais, sem palavras para descrever."

" A Umbanda mudou meus pensamentos e atitudes no dia a dia. "

" Aqui, eu reencontrei a minha família. "

Gratidão, Umbanda!
Ao mesmo tempo em que nos invade a agradável sensação do dever cumprido, percebemos cada vez mais o tamanho da nossa responsabilidade.
Não há espaço para graves enganos.
A Fé em quem nos guia precisa ser reafirmada todos os dias.
A coragem para seguir em frente não pode se abalar.
E a gratidão é imensa, por tudo e por todos, principalmente por este Nêgo amado, que não cansamos de agradecer, Pai Joaquim de Cambinda!

Saravá, Umbanda!

Ao grupo de estudos e desenvolvimento mediúnico da CPJC

por Débora Martins

ACABOU !!! Acabou de começar, isso sim !
Só se encerrou uma minúscula etapa, do grandioso encontro de nós mesmos.
Porque o aprendizado, esse jamais terá fim, pois é uma fonte inesgotável.
Quanta mudança em nós mesmos, quantas certezas e incertezas, distanciamentos e aproximações, quanto choro, quanta gratidão, quantas sensações jamais sentidas. 
É a Umbanda colorindo, e deixando a vivência terrena mais leve, nos mostra que a vida não é aonde se chega, e sim como se trilha, pois então o que se levará da vida, é a vida que se leva. 
Tenhamos sabedoria em nossas escolhas, com base naquilo que foi nos ensinado, por espíritos tão iluminados como o Pai Joaquim. 
E aqueles que “escolheram” trilhar os caminhos dentro dela, vamos juntos, nos reformando, iluminando com a caridade, o amor ao próximo, levando ao mundo inteiro a bandeira de Oxalá, e tenhamos sempre a humildade, que podemos saber mais que alguns, mas sempre terão alguns que saberão, mais que nós...
O universo é recíproco, emane o que você quer de volta !
Que iluminado seja o caminho, de todos vocês !




Débora Martins é médium da Casa desde 
março de 2016 e fez parte do Grupo 7 de 
Estudos e Desenvolvimento Mediúnico

MENSAGEM DA MARIA REDONDA NO ENCERRAMENTO DO GRUPO 8 DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO MEDIÚNICO

por Cândida Camini

A Nêga se emocionou sim. 
Esta neguinha também (referindo-se a mim, Cândida), que como disse o moço ali (o Vini), que é duro de chorar, mas não tem como não se emocionar com tamanha entrega destas moças, destes moços, tão jovens, iniciando uma vida, uma estrada longa pela frente. 
Tamanha entrega, tamanho amor, não só pela Umbanda, mas por todos aqueles irmãos, encarnados e desencarnados, que vem até à Umbanda, necessitados de auxílio. Assim como eles mesmos foram auxiliados quando aqui vieram nas primeiras vezes. 
Façam o que vocês costumam chamar de ‘corrente do bem’, fazer ao outro aquilo que fizeram por vocês, entregar ao outro, aquilo que vocês receberam. Então, quando alguém agradece alguma coisa que nós fizemos prá ajudar, a nossa resposta é sempre a mesma: ‘seja feliz, e passe adiante esta felicidade, ensine ao seu irmão o que você já passou, aquilo que você aprendeu, aquilo que fizeram por você’. 
Sim, a Nêga ficou emocionada, porque o tamanho deste amor e desta entrega é muito maior do que qualquer um possa imaginar. Nós temos a exata dimensão, nós conseguimos ter a exata dimensão disso em nível energético, que nos mostra isso, o tamanho, o real tamanho desta entrega e deste amor. Que nem vocês, que estão se entregando, que estão dando este amor, conseguem ter noção do tamanho disto. 

Mas como foi falado no início, junto vem a responsabilidade, e o cuidado. O que fazer a partir de agora com isso que vocês estão recebendo, com este aval da espiritualidade que estão recebendo? Como lidar com isso? 
Como todos sabem, no início é tudo lindo, maravilhoso, tudo é festa, não é verdade? Aos poucos começam as dificuldades, aos poucos começam as insatisfações, aos poucos é um irmão de corrente que você acha que não está fazendo as coisas como você acha de deveria, que não está tratando você como você gostaria que fosse, é alguma coisa que lhe desagrada aqui, que lhe desagrada ali. 

É um desafio muito grande, meus filhos, um desafio muito grande. O que a espiritualidade espera de todos vocês é que vocês consigam superar estes desafios. Lembrando sempre deste dia, o dia que vocês firmaram na Umbanda esta entrega e este amor, que é o dia de hoje. Pela primeira vez em oito anos nesta casa nós temos um encerramento de reunião como este. Nunca tivemos, não é verdade Joaquim, nunca tivemos. Com esta carga de emoção, de entrega, de amor, de alegria e de festa, por que não? Porque vai ter festa, né mesmo? Pode ser que alguns até tenham o privilégio de ver. 
Nós temos sim muito trabalho no mundo espiritual prá fazer. Mas nós sempre reservamos um momento para dividir com vocês estes momentos de alegria, de descontração e de festa, prá celebrar um dia que é muito especial prá vocês. 

A Nêga tá feliz, tá emocionada, com tudo isto que tá acontecendo, por isso que a Nêga fez questão de estar aqui, prá dar um abraço em cada um de vocês. Tem tempo prá dar um abraço em cada um, nêgo Joaquim?
(Após abraçar cada um, a Nêga finaliza sua mensagem)
A cada abraço, muita energia de amor foi captada e reservada para o trabalho que esta Nêga tem a fazer logo mais com as crianças no mundo espiritual.
Então, mais uma vez, a doação de vocês, o sentimento de vocês, a entrega de vocês, vão ser muito bem utilizados , naquilo a que a Umbanda se propões, naquilo a que esta Casa se propõe, naquilo a que vocês se propõe, em auxiliar aqueles......hummm....aqueles.... (e a emoção não deixou que a Nêga continuasse).