AVISO IMPORTANTE:

* Nossa casa fica em Porto Alegre (RS). Para maiores informações, contate-nos via e-mail.




sábado, 15 de janeiro de 2011

Mensagem

Todos estão acompanhando as notícias sobre a enchente no Rio de Janeiro e de uma forma ou de outro se solidarizando com aqueles que perderam tudo, inclusive seus entes queridos.
Mais do que a ajuda material, doando alimentos não perecíveis, roupas, cobertores, precisamos orar muito, pedindo ao Pai Maior que cubra estes seres, encarnados e desencarnados, de muito amor e muita luz, para que possam passar por estas provas com muita força e resignação.
Que toda esta dor possa servir de mola para que reflitamos sobre nossa vida, nossas dores, nossas bençãos.
Em nosso trabalho de ontem recebemos uma mensagem que encaminho a vocês logo a seguir.
Bom final de semana e fiquem com Deus!

Cândida
Casa Pai Joaquim de Cambinda


AGRADEÇAMOS

Agradeçamos o teto que temos, a comida que em nossa mesa chega diariamente, o sono  despreocupado, a certeza de um amanhecer tranqüilo.
Em meio a tanto que temos, pensemos no irmão.
O irmão que perdeu quase tudo.
Sem teto.
Sem alimento.
Sem água.
Sem sono.
Onde a noite é a procura de seus entes ou de seus desencarnados.
Onde o dia é a procura que parece não ter fim.
O dia passa.
A noite cai.
E tudo está como antes.
O trabalho parece não ter fim.
E a esperança? Será que ainda resta a esperança?
Com fome.
Com o tremor do medo, do desamparo, da solidão.
E os corpos chegam.
Quem serão eles? De quem será o irmão, o pai, a filha?
E eles ali, diante de toda a desgraça.
Achando ainda que são felizes.
Felizes por terem a esperança ainda de procurar.
E o choro chega, mas o dar-se a mão tornou-se poderoso, por que a única certeza é que apenas têm uns aos outros e somente quem está sentindo a mesma dor que pode compreendê-los.
Mas mesmo assim o agradecimento está sempre presente.
Estão vivos. Talvez tenha restado um filho, uma mãe, um marido.
Portanto irmãos, se onde há o desespero ainda sobra tempo para agradecer, comecemos nós a fazer o mesmo e não esqueçam de acrescentar em vossas orações o pedido de ajuda para aqueles que partiram, peçam que a luz lhes seja mostrada.
A aqueles que estão na escuridão, peçam ao Pai que o intua para que peça ajuda. A oração esclarece e conduz à luz.
Peçam para aqueles que ficaram força, resignação e amor, pois são estes sentimentos que farão com que suportem o restante da trajetória.
E nós, irmãos, esqueçamos as queixas, as picuinhas, os desafetos e não percamos tempo porque talvez ele seja curto.
Aproveitem as oportunidades e agradeçam.
Olhem ao redor e verão que não precisa ir muito longe para perceber o quanto são felizes.

Que Deus os abençoe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário